novembro 6, 2006

Paço Imperial – História quase esquecida

Posted in Construções Históricas, Cultura, Entrada Franca, História, Museus, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Turismo às 5:29 pm por popturismo

paco_principal.jpg

   Treze de Maio de 1888, abolição da escravidão no Brasil. Em uma das grandes salas do Palácio Imperial, na Praça XV de Novembro, a princesa Isabel assina e oficializa a Lei Áurea.
   Pouco mais de 112 anos após esse marco na história do Brasil, o local que deveria, por este e outros acontecimentos, ser um dos mais importantes pontos turísticos históricos é encontrado às moscas. Poucos conhecem um dos locais mais importantes da história do país. O palácio já foi residência de governadores e sede das capitanias do Rio de Janeiro, hoje se tornou um museu de grande importância no roteiro histórico do Rio de Janeiro.
   A poucos metros do Centro Cultural Banco do Brasil, que contrasta escandalosamente em relação a visitantes, o museu do Paço Imperial é visto como segunda alternativa nos passeios de vários turistas que, por acaso, visitam as suas exposições: “Sempre vou ao CCBB, às vezes quando me lembro dou uma passada aqui no Paço”, explica Patrícia Tavares, arquiteta visitante da exposição de Claudia Moreira sobre design.
   Para o porteiro Manoel Couto, de 48 anos, que trabalha há 12 anos no local, o que afasta os visitantes do museu é a falta de segurança, que acabaria quando começasse a revitalização do centro: “Essa revitalização traria segurança para nós, funcionários, e para os visitantes”, justifica o porteiro. Enquanto visitávamos o museu não foi vista uma só patrulha da polícia militar no local.
   O museu atualmente conta com cinco exposições, sendo duas permanentes, sobre a história do Paço e de Luiz Carlos Brugnera. As outras estão em fim de exposição e permanecem até 06 de novembro: Luciano Figueiredo – Do Jornal à Pintura, Nana Bernardes – O trabalho é seu, que conta com obras audiovisuais, e a da designer Claudia Moreira Salles.
   As obras, o ambiente, a localização, nada deixa a desejar a outros museus. Tendo exposições de artistas contemporâneos, entrada franca todos os dias e grande conteúdo histórico cultural, o Paço Imperial possui tudo para ser um local tão visitado como seu vizinho, o CCBB. Com um pouco mais de divulgação das exposições, um pouco mais de treinamento para os funcionários e alguns monitores-guias permanentes, o Paço pode se tornar um dos mais visitados.
   O museu ainda pré-agenda visitas para grupos escolares com guias (se houver exposição). Está aberto de terça a domingo, das 12h às 18h.

Endereço: Praça XV de Novembro, 48 – Centro – CEP 20010-010
Tel: (21) 2533 4491 /2533 7762 fax: 2533 4359
Site:
http://www.pacoimperial.com.br/

paco_mini.jpg paco_mini1.jpg

Matéria: Osmar Galvão
Fotos: Laís Orsolon

Anúncios

6 Comentários »

  1. amigosdopaço said,

    adoro o paço é um sitio muito bacana

  2. mariana vargas said,

    Qual o dia do lançamento do Paço Imperial?

    Sou uma aluna do CAp/UERJ.

    Preciso dessa iformação.

    Beijos Mariana.

    Boa sorte com seu trabalho.

  3. Diego de Moraes said,

    Gostaria de saber quando o site será inaugurado e também gostaria q se o site não disponibilizar a história, arquitetura, obras e o acervo se teria como voces me mandarem por e-mail ou se poderiam marcar uma visita para que eu pudesse pegar essa informações porque estou fazendo um trabalho na faculdade de revitalização turística e preciso muito desses dados.

    Muito obrigado.

  4. REBECA said,

    CONHECI O PAÇO IMPERIAL A ALGUNS ANOS ATRAS….
    VOLTEI A CONHECE-LO NESTE ANO DE 2007!
    SUA HISTORIA E BELEZA SÃO INTERESSANTES…
    PENA QUE ANDA UM POUCO DESVALORIZADA
    QUE AS PESSOAS DEEM UM POUCO MAIS DE VALOR PARA ESSA PRECIOSA HISTORIA…..
    PAÇO IMPERIAL…..HISTORIA QUE VALE A PENA!!!

  5. VANDA BORGES MESQUITA said,

    Fui contrata pela Empresa Brasileira de Correios e Telegráfos no ano de 1979, e convocada a trabalhar em um prédio antigo, que abrigava a sede da empresa no centro da cidade do Rio de Janeiro, qual minha surpresa ao assumir o cargo, quando descobri que iria justamente trabalhar no prédio onde outrora abrigava a família real recém-chegada à cidade, fugida dos ataques napoleônicos à Europa. Hoje anos mais tarde, e não por acaso aluna de História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, me sinto privilegiada em recordar as horas que passei naquele prédio antigo, onde as escadas rangiam, e onde ouviámos histórias do pessoal que trabalhava de plantão na madrugada, sobre sons de ferros se arrastando, e não menos raro se achar pela manhã cotocos de vela, que os plantonistas acendiam para as almas dos escravos ali enterrados. Essa história até que merecia um livro… quem sabe?

  6. míriam said,

    Sou apaixonada pela história do Brasil, paasei pelo paço imperial em 1999, e não dei o devido valor, justamente pelo total descaso em que o prédio se encontrava, pretendo agora ao Rio e não vou deixar de visita-lo.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: